Um e-mail para gabrielgomes@infolink.com.br

Home-Alone-image-home-alone-36360085-1280-688

A chegada da internet na minha casa foi condizente com o começo da minha adolescência. Eu tinha 13 anos quando a internet chegou lá em casa, um pouco antes da bolha estourar e o ICQ ir pro lixo com uma galera.

Com tanto aprendizado na rua e em casa acontecendo, eu gostaria de ter tido alguns conselhos e não ter batido tanto a cabeça: ou não ter focado tanto na dor e não como em sair da situação. Crescer é difícil. Muita gente é mimada até o momento que tem que tomar decisões em que se sente jogado aos leões. Se eu pudesse ler minha caixa de e-mail com mais coisa que correntes da Samara “Teria 14 anos se estivesse viva” eu talvez pudesse ter me preparado melhor pro Poltergeist hormonal que é a adolescência. Talvez sirva pra mais alguém do que uma alforria pro meus próprios erros de adolescente. Vamos ver.

1) Ser adulto é um processo em construção. Sempre.

Virar gente grande não é uma catarse, uma epifania, um passe de mágica. É tentativa e erro. A gente se adapta a recompensa maior que o dano causado por certa escolha na vida. Somos todos ratos de laboratório tomando choque até aprender outro caminho ou pegar o queijo de vez em quando mesmo sendo eletrocutado. E cada um tem o seu, não tem manual de instrução. Prepare a sua resistência.

2) Ninguém nem nada é insubstituível.

Uma das coisas que a gente aprendeu na nossa geração é se achar muito especial. Mas olha a verdade bruta: ninguém é insubstituível. Momentos especiais entre duas pessoas podem ser replicados com personagens diferentes. Todo mundo, com sorte, passa por dias inesquecíveis e outros que preferíamos esquecer. Não é o fim do mundo por ter acabado. Vai acontecer novo, adaptado de outra maneira ou com outras pessoas. É cíclico.

3) Não mantenha sempre o seu padrão mais alto.

Coisas muito boas acontecem, mas não acontecem sempre. É raro e escasso. Na maioria das vezes o ser humano é um vira lata que revira o lixo procurando afeto. Existem lugares chatíssimos pra ir. Muita gente recorre a drogas pra deixar os momentos melhores artificialmente. Mas ela, como todo prazer de adulto, gera algumas consequências ruins. Tente se acostumar a um padrão mediano de acontecimentos na vida. Imagina se só ocorressem coisas boas na vida? Todo mundo iria acabar entediado.

4) Seja generoso com algo que você talvez não goste no começo.

Não estou falando de sujeitar a um sadomasoquismo se a dor não tá te dando barato. É saber que talvez o objetivo valha o sacrifício racional de se adaptar ao que é a primeira vista desagradável. O ser humano é altamente adaptável. Mas o corpo é inseguro e precisa de tempo pra se acostumar e a se aprimorar a qualquer rotina. Então cuide que a mente também não seja insegura do mesmo jeito.

5) Trabalhar no que gosta nem sempre vai te dar prazer.

O cara que disse “Ame o seu trabalho e nunca vai ter que precisar trabalhar” provavelmente morreu morando na casa dos pais. A vida é cara. Não dá pra fazer as coisas só quando tiver prazer, mesmo você sendo pago pra elas. Uma hora você vai ter que trabalhar tanto em algo que gosta que vai ficar saturado dessa coisa. Respira fundo e vai. Tem gente que recolhe lixo hospitalar amigo, você só tá indo trabalhar numa livraria porque viver de filosofia tá foda.

6) A lenda é verdadeira: sexo leva a criação de cópias mescladas suas.

No começo eu achei que era só plot twist de enredo da Malhação, mas infelizmente tenho que concordar com os boatos: quando se faz sexo com alguém do sexo oposto que já está em fase reprodutiva (mais ou menos a partir dos 12 hoje em dia), a pessoa pode gerar uma versão de você em miniatura, que custa caríssimo e você vai ser obrigado a sustentar durante 18 anos. Sexo agora parece divertido pra você? Como falei antes, todo prazer legitimamente adulto gera consequências. Muito poucos prazeres aqui nessa fase são gratuitos pra qualquer lado. Saiba cultivá-los e tirar (um pouco) o foco da vida sexual.

7) Evite o cheque especial.

O banco não é seu amigo: ele só quer o seu dinheiro. Quem te dá dinheiro de graça são seus pais e muito a contragosto depois que começam a nascer pelos no seu corpo. Ninguém pediu pra nascer em um jogo de Banco Imobiliário que vale a sua vida. Já estava assim quando eu cheguei. Você tem algumas alternativas: se adaptar as regras, distorcê-las pra viver uma fantasia e contrair dívidas e dor de cabeça ou cair fora do sistema e ir morar na Chapada Diamantina, sei lá.

8) Você nunca vai conseguir sexo nem com algo próximo ao que acontece nos filmes pornográficos.

Autoexplicativo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s